26 junho 2008

Uma conversa com o Lima

Hugo Miguel Dinis Lima nasceu a 6 de Dezembro de 1993. Ele é seguro, decidido e empenhado, lutando sempre com todas as suas forças para conseguir o melhor.
Foi um dos bastiões da equipa dos iniciados academistas e formou com o seu parceiro de defesa um muro de dificil ultrapassagem. Tal como o seu ídolo, mostra que nem sempre os grandes futebolistas pertencem ao ataque das equipas.

Em poucas palavras, como pudemos definir o Lima como jogador?
Eu defino-me como sendo um jogador que em cada jogo tenta dar o seu melhor, com raça, com a preocupação de evoluir e que tenta em cada jogo apresentar-se nas melhores condições.

Qual o percurso que fizeste até chegares aqui aos Iniciados do Académico?
Comecei como escolinha, há cinco ou seis anos atrás. Fui campeão distrital de escolas, infantis e iniciados, tendo ajudando a subir este escalão ao Nacional e ajudado a manter-nos no mesmo nível.

Durante o tempo que já jogas futebol tiveste bons e maus momentos. Podes dizer um momento para recordar e outro para esquecer?
Para esquecer, nesta época, a derrota contra o repeses, no fontelo, na 1ª volta. Mais antiga, foi quando nos comunicaram, nos infantis, que o CAF iria acabar.
Os bons momentos são todos aqueles em que conseguimos ser campeões e quando existe uma forte união do grupo.

Que treinador te lembras melhor, por te ter marcado na tua formação?
O meu primeiro treinador foi o Mister João Gomes que me marcou pois foi ele que me “ lançou “ para o mundo do futebol. Todos os outros treinadores também foram importantes pois todos me ajudaram a evoluir. Também agradeço ao mister João Costa pela confiança demonstrada na minha pessoa durante a época transacta, em que fiz todos os jogos a titular tendo apenas falhado dois ou três por estar doente/lesionado.

A equipa teve alguns períodos de altos e baixos a que se deveu isso?
Há jogos em que as coisas não saem, mas nós tentámos sempre fazer o nosso melhor, sendo por vezes recompensados com vitórias muito importantes, que fizeram com que nós acreditássemos que podíamos ir mais longe. O facto do plantel ser pequeno, se calhar também contribuiu para algum desequilíbrio.

Formaste com o Oliveira um muro de difícil ultrapassagem. Como é surge uma ligação tão forte?
Existiu de facto uma forte ligação de união e de ajuda durante o campeonato o que fez com que nós nos uníssemos e travássemos os nossos adversários. Além de sermos bons amigos é fácil jogar com o Oliveira. Devemos também realçar o bom trabalho defensivo, bem como dos outros sectores, que efectuámos durante a época.

Que clube foi para ti a revelação e a desilusão do Campeonato?
A revelação foi o AVFC. Com um plantel, como disse trás, curto, cumprimos o principal objectivo e apesar de várias situações fizemos uma boa classificação. Quanto á desilusão, foi para mim o Marialvas, pois tinha um forte ataque devendo por isso ter feito muito mais.

O que achaste do campeonato feito por vocês?
Foi bastante bom, bastante positivo, conseguimos o objectivo definido no princípio de época. Não envergonhámos ninguém, podendo contudo ter feito, nalguns jogos, algo mais.

E para o ano, novo desafio, 1º ano de Juvenil e Nacionais, como será?
Depois de um ano de iniciado no Nacional, aguardo o próximo ano com expectativas altas, pois os juvenis foram campeões sem derrotas, o que é de louvar. Será um grande desafio onde nós teremos de nos esforçar ainda mais, pois iremos ter adversários à altura.

Que sonho gostavas de concretizar?
Tenho vários sonhos. Gostaria de ser jogador profissional e gostaria também de ver o académico na 1ª liga.

Um ídolo?
Ídolo? Canavarro, foi um jogador que há pouco tempo atrás foi considerado o melhor do mundo, mesmo sendo defesa, o que é raro. Um verdadeiro capitão, sendo para mim o melhor defesa da actualidade. Impressionante o seu sentido de posicionamento e a forma de ver o jogo.

Uma palavra para os sócios, adeptos e leitores do blog.
Quero aproveitar desde já, para agradecer o apoio dos pais que nos acompanharam e apoiaram incansavelmente e ajudando no que podem para fortalecer o académico.
Aos sócios pelo apoio e confiança que nos deram, tendo sido alguns jogos o nosso 12 jogador.
Um agradecimento especial para as pessoas que dentro do académico, desde os técnicos, dirigentes, funcionários, jogadores e ao Jorjão, pelo apoio que nos deram e continuarão a dar. A todos eles muito OBRIGADO.

4 comentários:

Paulo disse...

Sou leitor assiduo deste vosso blog.
Saudo o trabalho que desempenha.
São estes miudos o motivo deste trabalho.
Recomendo a visita ao blog no qual eu tambem represento as camadas jovens do Portimonense em blogdoportimonense.blogspot.com
Saudações Portimonenses e Tondelenses.

Anónimo disse...

Grande Lima!
Humilde, trabalhador, espirito de equipa e amigo.
Grande época!
Força aí para aquela que se avizinha.
Um abraço
João Costa

Anónimo disse...

OBRIGADO Mister
ax:hugo lima

Rui Almeida disse...

Grande miudo, grande força de vontade! Uma atitude impressionante perante o jogo e todas as vertentes que o rodeiam!
Excelente miudo!