25 junho 2007

Filipe, defesa junior à conversa


Filipe Costa, nascido a 6 de Junho de 1989, foi um dos indiscutíveis na equipa dos Juniores. Tanto no lado esquerdo da defesa como em alguns jogos na central ele e correu quilómetros por jogo.
Aliado a isso ainda fez o gosto ao pé dando ainda mais profundidade ao seu futebol.

Qual o percurso que fizeste até chegares ao Académico.
Comecei a jogar aos 13 anos numa equipa chamada Arguedeira, na época seguinte transferi-me para os Cracks de Lamego onde para mim foi onde realmente comecei a jogar futebol, nesta equipa permaneci o meu segundo ano de iniciado, onde fui campeão e o meu primeiro ano de juvenil. Nesta época joguei contra o Académico, fui visto, e no meu segundo ano de juvenil cheguei então ao Académico.

Durante o tempo que já joga futebol decerto já tiveste bons momentos. De qual te recordas mais?
Sem dúvida esta época, onde a minha equipa foi campeã. Embora houvessem muitas pessoas que nos queriam prejudicar não posso esquecer todas as que nunca nos abandonarão.
Estes dois motivos levam a que para mim este seja o momento que me recordo mais, nunca esquecerei esta equipa, esta família que não é só constituída por jogadores nem direcções técnicas mas também as pessoas que nos acompanharam sempre.

E algum momento para esquecer?
A minha primeira época posso dizer que foi mesmo tempo perdido.
Que treinador se lembra melhor por te ter marcado até agora?
Sei que o meu desempenho esta época devesse aos meus treinadores actuais. Muito do que sei aprendi com eles, todos eles desde o mister Pipo ao mister Carlos, e não esquecendo o mister Filipe, mas o treinador que me marcou mais foi o Mister João que treinou-me no meu primeiro ano de juvenil.

Sendo um jogador que assistiu ao término de um clube, como foi sentires o fim do CAF? Que reacção?
Fiquei um pouco resignado e revoltado chegando a por a hipótese de abandonar o clube, pois era uma época importante para mim. Jogar numa nacional é muito diferente de jogar numa distrital. Como estava á pouco tempo no clube o fim do CAF não me afectou muito porque ainda não existia grande aproximidade entre nós.

Qual a tua opinião sobre este novo clube? Ou o espírito do antigo CAF mantem-se?
Penso que não só para mim como para a maior parte dos jogadores do Académico não sentiram grandes alterações pois o espírito de grupo permaneceu e o gosto de jogar no clube também, o que mudou foi apenas o nome.

Falando da temporada qual o jogo ou jogos que custou mais a pontuar?
Para mim penso que terão sido os jogos contra o Paivense, No primeiro jogo porque toda a nossa equipa encontrava-se num baixo momento de forma e no segundo jogo pela dificuldade de jogar em pelados e por do outro lado do campo estar uma equipa com grande vontade de ganhar. Em ambos conseguimos apenas um ponto.

Após um campeonato sempre a par do Viseu e Benfica qual foi para ti o jogo em que a questão de campeão se decidiu?
Sem dúvida que foi no segundo jogo da segunda fase onde tivemos uma vitória por 5-0.

Nesta mesma fase final tiveram um passo atrás com o empate em casa com o Vale de Açores. Como foi digerir esse resultado?
Para mim foi muito difícil pois devido a esse péssimo resultado poderíamos por em causa o nosso título.

Qual a opinião sobre os “rivais” que defrontou nesta fase final? O mais difícil e o mais acessível?
Os mais difíceis foram o Lamego e os acessíveis foram talvez o Mangualde. Penso que todos foram nossos rivais, pelo facto que todos os jogadores da equipa adversária demonstravam em campo que o jogo que estavam a disputar contra o Académico era o jogo da vida deles.
Qual a sensação que sentiram após terem assegurado esse mesmo título?
Sensação de objectivo cumprido, pois sempre foi este o nosso objectivo.
De fora via-se que o vosso grupo era mesmo um grupo na sua totalidade. Isso foi preponderante para o êxito?
Claro que sim, se não sentíssemos o apoio uns dos outros certamente que não teríamos o mesmo desempenho.

Para o ano vão disputar a 2 Divisão do Nacional de Juniores, Como achas que vai ser o campeonato?
Sinceramente não posso responder a esta pergunta só posso dizer que vou dar o meu melhor.

Que sonho alimenta agora?
Continuar a trazer alegrias para o nosso clube.
A nível de futebol qual o seu ídolo?
Thierry Henry
Uma palavra final para os sócios, adeptos e leitores do blog das camadas jovens.
Continuem a dar o vosso apoio, pois esta é muito importante para os jogadores dentro de compo.
O nosso muito obrigado pela ajuda que nos deu na realização desta entrevista e votos de sucesso nesta nova época que se avizinha para que os objectivos principais sejam cumpridos.

Um abraço
Jorge Sá

8 comentários:

Anónimo disse...

grande filipe!!!!!!!!!
espero muito de ti..q essa vontade e essa garra nunca acabe..abraço ze luis

ogirdoR disse...

Só vi um jogo dos juniores, com o Mangualde em Viseu, e gotei do Filipe.

Jorge, não havia uma foto com as botas vermelhas?!

Anónimo disse...

Grande filiPE!

Anónimo disse...

AMIGO FILIPE ACHO QUE TODO O SUCESSO DESPORTIVO CONSEGUIDO POR TI É MERECIDO POIS A TUA HUMILDADE, TRABALHO, DEDICAÇÃO E FORMAÇÃO CIVICA É DIGNA DESSE SUCESSO. TENHO PENA DE OUTROS JOGADORES DA EQUIPA QUE SE CHAMA ARGUEDEIRA NÃO TIVESSEM TIDO A TUA OPORTUNIDADE, PORQUE EXISTEM CÁ BONS VALORES, MAS... UM ABRAÇO DO AMIGO VICTOR (EX-TREINADOR DOS JUNIORES DE ARGUEDEIRA)

lolol disse...

-

Marcelo Pais disse...

Abraço grande do teu amigo Marcelo! FOi um prazer jogar ao teu lado! Tens muita qualidade! Nunca desistas de ti! Podes chegar mt longe! Abraçao

Anónimo disse...

Espero ver-te rápidamente em acção. Fazes muita falta a equipa

Anónimo disse...

Força muido, estamos a tua espera. Espero que esse joelho já esteja bom.