27 junho 2007

Conversando com Lobo



Fábio Lobo, nascido a 14 de Dezembro de 1991, é um jogador juvenil que nos habituou ao seu bom futebol e que mesmo sendo defesa conseguia subir da melhor forma e levar a equipa para o ataque, sem todavia descurar a defesa.

Durante o tempo que já jogas futebol decerto já tiveste bons momentos. De qual te recordas mais?
O momento que com mais carinho recordo desde que jogo futebol foi o dia em que soube que ia fazer parte do plantel de iniciados do CAF há dois anos… Fiz alguns no inicio da época e acabei por ficar, graças ao mister João que acreditou em mim e ao qual agradeço muito pela oportunidade que me deu de vestir esta camisola.

E algum momento para esquecer?
Penso que a resposta é óbvia, sem dúvida o fim do CAF. Foi o pior momento que vivi enquanto jogador. Todo o trabalho que tínhamos desenvolvido até ao momento ia ficar por terra sem termos qualquer culpa, íamos deixar de fazer o que mais gostávamos sem ter cometido qualquer erro e isso foi sem duvida o que mais nos magoou. Tivemos a sorte de termos um excelente grupo e um excelente treinador que fez com que continuássemos a treinar e acabamos por participar num torneio em Aveiro algo que foi considerado como uma consolação naturalmente.

Que treinador te lembras melhor por te ter marcado até agora?
Todos os treinadores me marcaram e me ajudaram a evoluir enquanto jogador, todos eles foram importantes na minha formação enquanto pessoa mas o que mais me marcou foi o mister João Gomes, por diversos motivos:
Primeiro porque foi ele que me permitiu jogar no Académico, foi ele que confiou em mim, por isso, é sem duvida uma pessoa muito importante. Depois também pelo facto de nos ter apoiado muito em todos os momentos principalmente nos mais difíceis como o fim do CAF.

Sendo um jogador que assististe ao término de um clube, como foi sentires o fim do CAF?
Foi péssimo, muito mau mesmo… Na altura não me apercebi muito bem da gravidade da situação e cheguei a acreditar que talvez as camadas jovens não fossem afectadas pela decisão do tribunal mas depois quando tive a certeza que íamos deixar de participar no campeonato foi uma desilusão enorme.
Éramos um grupo de amigos muito unido e de um momento para o outro ficamos privados de lutar por um objectivo que tínhamos em comum e isso foi muito difícil de aceitar.

O que achaste do campeonato realizado pelos jovens juvenis academistas?
Foi mau porque não cumprimos os objectivos que estavam definidos no início da época, mas se analisássemos tudo o que se passou ao longo da época até se poderia dizer que o balanço não é assim tão negativo.

Falando mais concretamente desta época após um bom começo a equipa teve a sua primeira derrota na 6 jornada e ressentiu-se. A que se deveu este momento negativo?
Deveu-se a vários factores, entre eles, desconcentração, falta de união. Mas existiram diversas situações ao longo da época, em que nem os jogadores nem a equipa técnica estiveram bem mas das quais não irei falar porque não tenho esse direito.

Após uma segunda volta onde não obteve nenhuma derrota os jogadores chegaram ainda a acreditar que era possível atingir a meta traçada?
Sim acreditamos sempre que tínhamos possibilidade de chegar a fase seguinte e lutar pela subida ao Nacional no entanto não o conseguimos principalmente por demérito nosso devido à péssima 1ª volta que realizámos.

Para si qual foi o jogo fulcral para que a fase final não fosse atingida?
Na minha opinião não houve um jogo fulcral, um jogo que nos tenha impedido de atingir esse objectivo. Houve isso sim um conjunto muito grande de situações e momentos que criaram roturas no balneário, situações mal geridas pelos treinadores e que não foram compreendidas da melhor forma pelos atletas.

O que faltou para que esse objectivo da fase final não fosse concretizado.
Faltou muita coisa… Faltou uma boa pré-época, faltou organização, faltou comunicação entre outras coisas. E tudo isso fez com que o nosso objectivo não fosse alcançado.
Dos jogadores que viste alinhar durante o campeonato será possível definir para nós a sua equipa “de sonho”?
A nossa equipa era uma equipa de sonho…falharam muitas coisas, como já disse anteriormente e isso fez com que a época corresse mal mas continuo a acreditar que tínhamos qualidade suficiente para alcançar aquilo a que nos propusemos no inicio da época.

Sendo das equipas que mais adeptos e apoio levavam aos estádios, quer em casa quer fora, como sentiram por vezes o menor apoio dado pelos adeptos em casa?
Isso deveu-se ao facto de não estarmos a realizar uma época à altura do que devíamos e podíamos. Por isso percebo esses momentos de menor apoio. No entanto devo dizer que os adeptos, principalmente os pais dos atletas foram muito importantes durante toda a época.

Que sonho alimenta agora?
Actualmente o meu grande sonho e sem dúvida ser campeão distrital para o ano e recolocar os juvenis do académico nos nacionais. É esse o grande objectivo num futuro próximo.

Num dos jogos a que assisti, senti esse seu amor ao clube. Na altura o que sentiste quando foi expulso com o Silgueiros?

Foi a primeira vez que fui expulso desde que jogo futebol e já jogo há alguns anos. Senti-me triste como é óbvio porque tive noção clara de que tinha acabado de me prejudicar e principalmente de prejudicar a equipa que teve de fazer um esforço muito grande para vencer esse jogo.
Já agora agradeço ao Ferreirinha que marcou os três golos que permitiram a vitória e me salvou a pele de certa maneira.

Tem algum ídolo?
O meu pai. Foi ele que me ensinou, foi ele que incutiu em mim o gosto pelo futebol e é ele que confia em mim em todos os momentos. Por isso sem duvida o meu ídolo.

Uma palavra final para os sócios, adeptos e leitores do blog das camadas jovens.
Primeiro agradecer a todos os que nos apoiaram ao longo da época e acima de tudo que acreditem neste novo académico como nós acreditámos e vamos continuar a acreditar.

O nosso muito obrigado pela ajuda que nos deu na realização desta entrevista e votos de sucesso nesta nova época que se avizinha de forma a que o objectivo dos Nacionais seja concretizada.

Um abraço
Jorge Sá

7 comentários:

Anónimo disse...

Muito fixe mesmo manu =)

xD

Anónimo disse...

ganda lobo

ass:Melo

Anónimo disse...

o teu idolo sou eu pah pk sou eu ke te passo as bolas nus jogos pa marcares golos...XD..

ptt bem pah...

pedras..

Anónimo disse...

Ganda lobo!

AVFC sempre aki <3

abraço

ass: david

Anónimo disse...

eleee =) o meu gand manu =)

manu es grand em td.

sabes mto bem k estas ka sempre sempre mesmo <3

akele grande abraço manu

ACADEMICO SEMPREEEEE

ass: Ferreirinha

Anónimo disse...

muito bem filho!!!!

Ronaldo disse...

recordem bem o nome deste miUdo .. ainda vai dar muito k falar ;)


grande jogador =)

akele abraÇo maninho <3